Sistema 3As de Monitoramento: Estado repassa maior responsabilidade pelo controle da pandemia aos municípios

Municípios e regiões devem estabelecer os seus protocolos para controle da propagação da pandemia

14/05/2021 - Notícias

Municípios passam a ter maior controle sobre as ações de combate à pandemia
Municípios passam a ter maior controle sobre as ações de combate à pandemia
O governador do Estado anunciou nesta sexta-feira um novo sistema de monitoramento e controle da pandemia no Rio Grande do Sul. Cai fora o Distanciamento Controlado, em vigor a praticamente um ano, e passa a ser adotado o Sistema 3As de Monitoramento.
 
O novo modelo retira grande parte da responsabilidade do Estado e repassa maior compromisso no controle da pandemia aos municípios e cada uma das 21 regiões Covid do Estado. A medida, implementada após três semanas de estudos e análises feitas pelo Grupo de Trabalho (GT) Saúde do Comitê de Dados, juntamente com associações de municípios e autoridades de saúde e sanitárias de cada uma das regiões.
 
Conforme anunciou o governador Eduardo Leite há instantes, os municípios poderão fazer ajustes regionais, desde que observadas diretrizes que o Estado determina. Em seu entender, ao longo deste mais de um ano de pandemia, todos adquiriram experiências e conhecimento suficiente para que cada parte assuma a sua responsabilidade na gestão da crise sanitária. "Nós aprendemos, prefeitos aprenderam e a sociedade aprendeu neste um ano de pandemia. Agora podemos simplificar os protocolos para controle da pandemia", afirmou.
 
Eduardo Leite disse ter confiança de que os prefeitos e suas equipes técnicas saberão lidar com esta nova realidade com a responsabilidade que o momento exige. "Cada região deverá apresentar os seus responsáveis técnicos. Tenho confiança de que não serão necessárias intervenções por parte do Estado", afirmou.
 
Este novo modelo entre em vigor a partir da meia-noite de sábado para domingo. Ainda na noite desta sexta-feira ou ao longo do sábado, o governo do Estado emitirá um novo decreto, estabelecendo a nova ordem no controle da pandemia no Rio Grande do Sul. O Estado também colocou no ar há pouco o site www.sistema3as.rs.gov.br , onde serão atualizados os dados da evolução da Covid-19 em todo o RS.  
 
CONHEÇA MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O NOVO SISTEMA
O Sistema 3As de Monitoramento utiliza dados epidemiológicos e de acompanhamento do sistema de saúde para subsidiar o processo de tomada de decisão dos gestores. Esse novo sistema de monitoramento utiliza três indicadores de decisão, os “3 As”: Aviso, Alerta e Ação.
 
Aumenta-se a responsabilidade e a participação dos municípios, que poderão definir protocolos que atendam ao equilíbrio entre a responsabilidade sanitária e o desenvolvimento econômico, sempre com a supervisão do Governo do Estado e respeitando os protocolos Gerais Obrigatórios e os Obrigatórios por Atividade, com  incidência em todo o RS.
 
Regionalização
Os municípios permanecem agrupados em 30 Regiões de Saúde, com base nos hospitais de referência para leitos de UTI, totalizando 21 Regiões Covid e 7 Macrorregiões.
 
Monitoramento
O sistema de monitoramento mede indicadores que apontam os riscos de aumento da propagação e de colapso do sistema de saúde. As regras matemáticas não são pré-determinadas e uma equipe técnica, representada pelo Grupo de Trabalho (GT) Saúde do Comitê de Dados, é responsável por emitir avisos às regiões e alertas ao Gabinete de Crise, que poderá confirmá-los ou não. Boletins diários são gerados por regiões e disponibilizados no site.
 
Em situação de Alerta, a região tem 48 horas para responder sobre o quadro regional da pandemia e apresentar um plano de ação a ser tomado (adoção de protocolos mais rígidos, ações de fiscalização, etc.). Se o Gabinete de Crise considerar adequada a resposta da região, o Plano de Ação é imediatamente aplicado, e a região segue sendo monitorada pelo Gabinete de Crise e GT Saúde. Se o Gabinete de Crise não considerar adequada a resposta, o Governo Estadual poderá estipular ações adicionais a serem seguidas na Região.
 
OS 3As
AVISO

Quando detecta uma tendência, o Grupo Técnico (GT) Saúde emite um aviso para o respectivo comitê técnico regional. Quando detecta outras situações, como reduzido ritmo da vacinação ou registro instável de dados, o GT Saúde também emitirá um aviso. Quando recebe um aviso, a região deverá redobrar sua atenção para o quadro da pandemia, sendo opcional adotar novas medidas.
 
ALERTA
Quando detecta uma tendência grave, o GT Saúde informa simultaneamente o Gabinete de Crise e a região sobre a orientação para a emissão de um alerta. Se o Gabinete de Crise decidir não emitir o alerta, a região segue em monitoramento até a próxima reunião do GT Saúde. Se o Gabinete de Crise emite o alerta, parte-se para a necessidade de ação.
 
 
AÇÃO
Emitido o alerta, a região terá 48 horas para responder sobre o quadro regional da pandemia e apresentar um plano de ação a ser adotado (protocolos, fiscalizações, etc). Se o Gabinete de Crise considerar adequada a resposta da região, a proposta é imediatamente aplicada e divulgada no site do município. Se o Gabinete de Crise considerar inadequada a resposta, o Governo Estadual poderá estipular ações adicionais a serem seguidas na região em situação de alerta.